Arte e Cultura | Artes Plásticas 

No primeiro final de semana de agosto iniciou a exposição “Realismos Mágicos” de Nestor Lampros e Yndiara Macedo, a mostra acontece até o dia 25, no Museu Histórico Municipal “Padre Francisco de Paula Lima” em Itatiba, interior de São Paulo.

Iniciou a exposição “Realismos Mágicos” de Nestor Lampros e Yndiara Macedo

O Museu Municipal de Itatiba mantém uma exposição permanente, “Caminhos do Passado”, que conta toda a história do município, e conta com exposições culturais e artísticas temporárias de temas variados, como a exposição “Realismos Mágicos”, divertida e colorida tem como objetivo fazer com que as pessoas vivenciem uma experiência além do real, sem materialismo, ideologias ou o culto ao egoísmo.

Em entrevista com o artista ele contou o que o levou a trabalhar com a arte, falou do objetivo da exposição, menciona o materialismo, se compara aos pajés, destaca que estamos anestesiados diante da nossa realidade e diz se sentir livre para expor o que pensa e sente.

Entrevista 
O que o levou a trabalhar com arte? Hoje temos um grande movimento de pessoas nas ruas reivindicando por suas categorias, sem nenhuma apologia, o dia a dia do brasileiro contribui para o desenvolvimento das suas obras? 
Leva-me a necessidade em trabalhar com arte uma necessidade de cunho interior. Necessidade esta que faz do artista “médium”, ou o que intermedia realidades que à priori são vistas como débeis, ou mesmo desnecessárias à arte dita contemporânea. Minha e de minha esposa Yndiara. É a necessidade em fazer com que os homens e mulheres vivenciem uma essência e uma transcendência, muito além do que consideramos como “a necessidade real”, ou seja, do materialismo que infelizmente temos em nosso mundo calcado no pão e circo, às bandeiras ideológicas, e o culto ao egoísmo. Estou muito próximo dos pajés e dos oráculos de outras épocas do que dos modismos do mercado. Do deus-mercado. Para contrapor a isso tudo ofereço minha arte e minha visão das coisas, conjuntamente com o amor que nutro à vida e às coisas. Não me envergonho de desenhar e pintar e escrever o que gosto, mas sinto-me livre para dizer com todas as letras do que não gosto também.

Qual o objetivo da exposição “Realismos Mágicos” e o que você quer dizer quando fala da necessidade de estarmos anestesiados diante da realidade, conforme texto destacado abaixo.
“Realismos Mágicos” contempla o realismo não lógico, não o realismo que estamos acostumados em ver e consumir passivamente. Este realismo mágico se refere a uma forma onde impera a vazão do lirismo, do ilogismo, da poesia. Poesia que confere à normal visão, tão doentia como uma doença na necessidade de estarmos sempre anestesiados, e/ou neutros, a proposta de reorganizar as realidades sob uma ótica do sonho e das associações diferenciadas, da reconstrução do real pelo viés da memória. 

Trecho do texto que compõe a exposição “Realismos Mágicos”, de autoria de Nestor Lampros e Yndiara Macedo.
A parte que você destacou diz que o Realismo Mágico é contrário à visão normal “tão doentia como uma doença na necessidade de estarmos anestesiados, e/ou neutros, a proposta de reorganizar as realidades sob uma ótica do sonho e das associações diferenciadas, da construção do real pelo viés da memória”. Não há necessidade em estarmos anestesiados – o fato é que estamos anestesiados, infelizmente… Mas vejo que dentro desse pesadelo que estamos inseridos, tal como os Surrealistas propuseram em maior ou menos grau, em outras épocas, outras imagens e propostas, nosso Realismo Mágico propõe uma contribuição de despertar desse sono profundo após os pesadelos contemporâneos. Despertar e falar – ou melhor despertar e cantar- parafraseando o filósofo Merleau Ponty. Para isso, criamos o “Manifesto da Vigília”, onde afirmamos a máxima consciência sem o torpor da inconsciência, porém sabendo lidar com o inconsciente de forma a criar uma ambientação saudável e não de morbidez, ou mesmo destrutiva ou violenta.

Você trabalha com a sua esposa, como acontece essa parceria e, como são feitas as escolhas para um próximo trabalho, por exemplo?
A parceria começa às 6:00, quando despertamos, e termina às 23:00, quando dormimos. O próximo trabalho, meu e de Yndiara, tem como desdobramento os Realismo Mágicos. O tema é a “Vida” em todas as suas nuances, pontos claros e obscuros, sempre enaltecendo “essa perdida” como cansa de falar o Abujamra e suas Provocações.
Yndiara fica encarregada do seu material, na exposição, a parte escrita, entre seus textos vários. E eu fico responsável pelo material de divulgação e pictórico das obras que vão ser expostos. É claro que as observações de um e de outro são sempre levados em consideração, nunca desfazendo a autonomia, mas com uma participação democrática e participativa. Desde já procuramos o apoio do comércio local para a exposição, que será seguramente, surpreendente.
A próxima exposição do casal já tem data marcada, será entre os meses de julho e agosto do próximo ano.

Os Artistas
Nestor Lampros é formado em Letras e especialista em Arte – Educação pela FAAT. Cartunista, chargista e escritor, o artista que já recebeu vários prêmios é autor de “Roupagem Leve” seu livro de poemas publicado em 2012 pela Editora Patuá.
Yndiara Macedo é professora e escritora, formada em Letras pela UFRJ.

Serviço
Exposição: “Realismos Mágicos”
Até 25 de agosto de 2013
Local: Museu Histórico Padre Francisco de Paula Lima
Endereço: Praça da Bandeira, 122 Centro. Itatiba/ SP
Horário de funcionamento: de terça à sexta-feira das 9h00 às 18h00, sábados, domingos e feriados das 9h00 às 17h00. Informações pelo telefone (11) 4524-1264.
Exposição gratuita e aberta ao público.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *